Top 10 Girl: Janeiro 2012

Mulheres estacionam melhor que os homens?

Uma pesquisa encomendada por uma empresa britânica sugere que as mulheres são melhores que os homens na hora de estacionar os carros.

A pesquisa, encomendada pela rede de estacionamentos NCP observou 2,5 mil motoristas em 700 estacionamentos espalhados pela Grã-Bretanha durante um mês.

O estudo mostrou que as mulheres podem até precisar de mais tempo para estacionar, mas têm mais probabilidade de deixar o carro centralizado na vaga.

O estudo também descobriu que as mulheres são melhores na hora de encontrar espaços e mais precisas na hora de alinhar o carro antes de iniciar cada manobra.

Mulheres estacionam melhor que homens, indica estudo . Foto:Getty ImagesPor outro lado, os homens mostraram mais habilidade em dirigir para frente nos espaços das vagas e demonstraram mais confiança. Menos homens optaram por reposicionar o carro depois de entrar na vaga.

Pontuação e impaciência
A pesquisa levou em conta sete fatores, entre eles a velocidade na hora de encontrar um espaço apropriado para estacionar, velocidade nas manobras, a habilidade de entrar no espaço com o carro em marcha a ré ou de frente, entre outros.

Em uma pontuação que poderia chegar a 20 pontos, as mulheres conseguiram alcançar, em média, 13,4 pontos e os homens chegaram aos 12,3 em média.

A primeira categoria analisada pela empresa foi a habilidade de encontrar uma boa vaga e os homens ficaram atrás das mulheres. Os pesquisadores afirmam que a impaciência dos homens faz com que, com frequência, eles não percebam as melhores vagas ao passar muito rápido pelos estacionamentos.

Mas, a velocidade das manobras na hora de estacionar foi um quesito que deixou as mulheres para trás. Em média, homens precisaram de 16 segundos para estacionar, enquanto que as mulheres precisaram de 21 segundos.
E, no quesito de maior importância para a avaliação geral, a centralização do carro na vaga, os homens marcaram menos pontos. Apenas 25% deles conseguiram centralizar o carro na vaga, contra 53% das mulheres.

O teste foi criado pelo professor de autoescola Neil Beeson, que também tem um programa sobre o assunto em um canal de televisão britânico, ITV.

"Fiquei surpreso com os resultados, pois, de acordo com minha experiência, homens sempre aprenderam melhor e geralmente tinham uma performance melhor nas lições. No entanto, é possível que as mulheres tenham guardado melhor as informações", disse.

"Os resultados também parecem acabar com o mito de que os homens têm uma noção espacial melhor do que as mulheres", acrescentou.

Diferenças entre eles e elas são maiores do que se imaginava

Foto: Thinkstock
Em ao menos 70% dos casos as personalidades de um homem e de uma mulher não batem
Homens são de Marte e mulheres são de Vênus? A ideia, fortemente ancorada no senso comum, de que pessoas de gêneros diferentes sempre terão problemas para se entender, ganhou respaldo científico. Um estudo realizado em parceria pelas universidades de Turim, na Itália, e de Manchester, na Inglaterra, e publicado na última quarta-feira (11), dá conta de que em, no mínimo, 70% dos casos, as personalidades de um homem e de uma mulher não batem.
“A principal descoberta do estudo é que quando você mede as diferenças de personalidade entre gêneros no nível certo, com as melhores técnicas para reduzir a margem de erro, essas diferenças são muito grandes”, explica Marco Del Giudice, principal responsável pelo projeto que leva o título de “A distância entre Marte e Vênus: medindo as diferenças de personalidade globais entre os sexos”. “Isso vai contra o consenso atual no campo de estudo da personalidade”, acrescenta.
De acordo com a pesquisa, que foi feita com dez mil voluntários dos Estados Unidos, os homens descrevem a si mesmos como mais emocionalmente estáveis, pragmáticos e dominantes, mas menos confiáveis. As mulheres se vêem como mais acolhedoras, inseguras e sensíveis. Traços como perfeccionismo, abstração e entusiasmo, por exemplo, não variaram entre os sexos.

Para Paul Irwing, outro pesquisador envolvido, o medo de algumas pessoas em assumir tais diferenças é compreensível. “Elas não querem arriscar o avanço das mulheres no mercado de trabalho e no acesso a educação”, diz.
Ele, no entanto, discorda que os resultados possam levar por este caminho. “Os avanços sociais não serão influenciados pela ciência, as únicas consequências (em não se assumir diferenças) são danos para a própria ciência”, constata.

A doutora em psicologia Rosiska Darcy de Oliveira é autora do livro “O Elogio da Diferença”, que trata justamente da importância em admitir as diferenças entre os sexos. “Não é preciso uma pesquisa para provar que homens e mulheres são diferentes”, diz, quando perguntada sobre os resultados do estudo. Ela explica: “homens e mulheres são obviamente diferentes em função da história, das vidas que levam e das experiências que têm”.

Yudi Tamashiro, quer ser cantor sertanejo

Yudi Tamashiro agora só quer saber de cuidar da carreira musical. Em entrevista ao programa "TV Fama", exibida na noite desta terça-feira (21), o apresentador do SBT disse que está cheio de novos projetos profissionais.

"O ´Bom Dia e Cia´ está com a audiência cada vez maior e o ´Cantando no SBT´ voltará logo mais. Coisas novas estão surgindo e graças a Deus estão aparecendo muitos shows para mim. Estou trabalhando bastante".
Tamashiro também disse que está montando uma dupla sertaneja com o amigo Edu Barros. Eles estão fazendo composições e ensaios juntos.

"A dupla não tem nome, mas aceitamos sugestões. (...) Estamos estudando bastante e ele é meu amigo de infância lá da Baixada Santista. A gente já fazia um som juntos e agora estou trazendo ele para São Paulo para divulgar um pouco mais o trabalho dele", encerrou.

Vale lembrar que o apresentador já faz shows com músicas do gênero pop. Aliás, ele até lançou recentemente o clipe da música "Na Night", com a participação de Ratinho, no YouTube.

ASSISTA O CLIPE DA MÚSICA "NA NIGHT", COM YUDI: http://www.youtube.com/watch?v=inC8Qhld6Ts

7 erros na busca de um novo amor

Após o término de um relacionamento é comum sentimentos negativos surgirem. O tempo cura algumas feridas, mas outras permanecem abertas impedindo que novas experiências amorosas aconteçam. Em geral, sete erros são os mais recorrentes. Conheça quais são eles e faça uma autoanálise sincera. O ano-novo chega favorecendo mudanças, essa é a hora!

Foto: Getty Images
Deixe os sentimentos negativos de lado e encare um novo amor

1. Preguiça de recomeçar

A preguiça está ligada ao conforto. Não se expor significa não ter que lidar com pessoas e situações indesejáveis, mas também bloqueia o movimento, o novo. “O primeiro passo é sair do comodismo e enfrentar o mundo”, afirma Rebeca Fischer, psicóloga e instrutora da Sociedade Brasileira de Programação Neurolinguística (SBPNL). Comece um curso livre, entre na academia, vá ao cinema, saia de casa mesmo sozinha. “A preguiça é passageira, e a partir do momento que você começa a se arrumar para sair, ela vai embora”.
2. Medo do novo
O medo é uma prisão. Segundo Magdalena Ramos, psicóloga especializada em terapia de casal e família, as pessoas que foram muito magoadas ou traídas podem precisar de ajuda profissional para superar traumas. “É preciso passar algum tempo sozinha e fazer uma autoanalise, descobrir as próprias qualidades e ganhar respeito por si mesma”, recomenda. Kelen Pizol, psicóloga especializada em psicoterapia cognitiva, explica que o receio gerado pelos relacionamentos passados aparece em duas situações: “A pessoa evita se arriscar porque não sabe o que pode acontecer e acaba ficando com o pé atrás, esse é o medo do desconhecido. E tem o medo de sofrer novamente, de ser abandonada, de não dar certo ou ter algo negativo”.
3. Alimentar o rancor pelo “ex”
“A raiva é um veneno que a pessoa toma esperando que o outro morra. Enquanto estiver com ódio, ninguém consegue se envolver novamente”, afirma Rebeca. Para Magdalena, a única forma da pessoa se livrar desse sentimento negativo é perdoando. “Não é fácil, mas é preciso”, diz. Segundo Kelen, o rancor faz parte do processo de esquecimento, é necessário aceitar esse sentimento para ficar em paz. “Existe esse período de luto pelo relacionamento que acabou, é normal. Mas ficar remoendo impede de seguir adiante”.
4. Não saber ficar sozinha
“Ficar sozinha é um ato de coragem, é um momento de autoconhecimento, mas algumas pessoas não conseguem”, diz Rebeca. A carência e a ansiedade são as grandes responsáveis pela sensação de solidão e o medo de nunca mais encontrar um parceiro. “Ela se coloca na obrigação de engatar um relacionamento no outro, como se não pudesse ter esse tempo. É preciso ter paciência, sem afobamento”, conta Kelen. O ato impensado faz com que a pessoa entre no primeiro relacionamento que aparecer. “E esse padrão de comportamento tende a se repetir”, alerta.
5. Manter objetos e recordações
Livre-se da escova de dente esquecida, não ouça a “música de vocês” e guarde as fotos em um lugar distante. “Esses detalhes ficam reabrindo as feridas”, explica o psicólogo Ailton Amelio. O mesmo quando se trata de redes sociais. “Ficar fuçando no Facebook e Twitter do ex-namorado pode levar a uma depressão profunda”, avisa Rebeca. Kelen também é radical e indica a exclusão do perfil da pessoa em questão.
6. Cultivar amigos sugadores de energia
Fique ligada em algumas atitudes típicas de uma falsa amiga: liga para contar todos os passos do seu “ex”, mesmo sem ser solicitada; fica amicíssima dele após o término e espera que você compreenda; só sabe dizer que ‘homem não presta’ e adora te ver solteira, pois assim podem sair juntas; acha defeito em todos os seus novos namorados; só fala de si mesma e não sabe ouvir. Fuja!
Foto: Arte iG
Horóscopo Chinês traz notícias da vida amorosa

7. Dar ouvidos às pressões da família
As reuniões de família podem ser muito cansativas para as solteiras. A pressão para que elas encontrem um amor – ou simplesmente deixem de ser sozinhas – aparece em forma de piadas, lamentações e questionamentos sem fim. “Não fique triste, você vai encontrar um homem bom”, “mas você é tão bonita, eu não entendo” e “vai ficar pra titia mesmo?” são as frases comuns do parentesco ansioso.
“A sociedade cobra da mulher que ela tenha um relacionamento – qualquer um, e ela chega a se sentir diminuída quando está sozinha”, conta Rebeca. “Essa expectativa pode fazer com que a pessoa entre em um relacionamento para agradar aos outros ou apenas fugir do incômodo”, diz Kelen Pizol. Para lidar com essas situações, uma dica é encarar o assunto com bom humor. Mas como tudo que é demais cansa, ser sincera também é uma saída: “Eu sei que vocês se preocupam comigo, mas eu não gostaria de debater a minha vida íntima em público”. Provavelmente você não vai agradar aos outros com a sua frase, mas certamente será mais respeitada.

S.O.S. cabelo de praia

O verão chegou e, com ele, todos os problemas que a época traz para os cabelos: ressecamento, oleosidade excessiva, desbotamento, quebra. Três são os principais causadores de tanto estrago: a água (do mar ou da piscina), o sol, e os elásticos que prendem os fios. Para minimizar os danos da estação, experts dão dicas valiosas. Siga e não se descabele mais!

Supertratamentos blindam os fios para a temporada de praia. “Hidratações poderosas com produtos à base de queratina são indispensáveis”, ensina o beauty artist Celso Kamura. Para o hairstylist Marco Antônio de Biaggi, os óleos naturais são apostas práticas. “O ativo da moda é o óleo de bambu do Japão”, diz ele, que também é fã do óleo de argan. “Você pode usar antes da lavagem, nos cabelos úmidos, antes da secagem, e também nos cabelos secos, para proteger. É um produto versátil. As versões atuais são leves e tecnológicas, pode apostar”, diz.


Foto: Getty Images 
Para não queimar o cabelo e o couro cabeludo, invista em protetores para os fios
A mudança de clima pede também uma renovação no arsenal de produtos. “Se o seu cabelo tem a raiz oleosa, não deixe de comprar xampus com ingredientes refrescantes, como menta e chá verde”, ensina Sergio G, cabeleireiro do Studio W. Nessa época do ano, troque o condicionador normal por uma máscara que age em cinco minutos, ainda no banho. “Aplique o produto do comprimento em direção às pontas e enxágue bem. Dessa forma, você garante hidratação e proteção extra para todos os tipos de cabelos – até para os oleosos, pois excesso de óleo não significa hidratação”, explica Biaggi.

Outras boas compras. Não deixe de investir:

- Para não queimar o couro cabeludo e tostar os fios vá de protetor solar capilar com FPS 15, no mínimo;

- Leave-in hidratante com protetor solar ajuda a desembaraçar o cabelo após o banho e ainda rebate os danos do secador;

- Xampu e condicionador solar são boas escolhas porque levam detergentes mais suaves e ingredientes protetores;

- Pentes de dentes largos minimizam a quebra.

Outros amigos do cabelo no verão são o chapéu e o lenço. “Além de charmosos, eles protegem as madeixas”, ensina Andreia Costa, hairstylist do Tamba Salão Boutique. E para quem não abre mão dos elásticos, melhor optar por produtos revestidos com tecido, que poupam a fibra capilar da tração. “Também é importante evitar prender os fios ainda molhados, para não quebrar o cabelo”, completa Andreia.
Socorro, meu cabelo está verde!
É o drama das loiras. O cloro e os produtos de limpeza usados na piscina fatalmente interferem no tom dos cabelos descoloridos. J. Alvim, cabeleireiro do Studio W, ensina que aplicar leite em todo o comprimento é uma saída para rebater o efeito indesejado. “Deixe agir por 25 minutos e enxágue”. Invista também num xampu com pigmentos em tons de violeta, que neutraliza o “amarelão” e o esverdeado. Algumas opções são: Color Save Silver, da Schwarzkopf, R$85, e Shampoo Silver Gloss, da L´Oreal, R$86.

Foto: AgNews 
Como Dany Bananinha, as loiras devem cuidar para que o cabelo não fique esverdeado
Outras dicas rápidas:

- Toda vez que sair do mar, lave os fios com água doce para evitar o ressecamento;

- E como a beleza vem de dentro, beba no mínimo dois litros de água por dia para dar uma força extra aos fios;

- Para não deixar o frizz se instalar, aplique um leave-in que protege do calor e seque 80% dos cabelos com o secador. O restinho de umidade ajudará o cabelo a não arrepiar;

- No meio da estação, vale investir em um tratamento no salão, para manter a hidratação e a cor. “Combine hidratação e reconstrução profissional. A primeira vai repor a água perdida e a segunda vai fortalecer, porque devolve a massa”, conta o hairstylist Márcio Mello, do salão Éclat;

- Caso a cor desbote bem no meio da temporada, os xampus tonalizantes podem salvar. Mas lembre-se: qualquer química é agressiva para os cabelos;
- É importante manter a cabeleira aparada para evitar que as pontas duplas se revelem. Segundo Marco Antônio de Biaggi, não é preciso mudar o comprimento, basta repicar bem para retirar a parte danificada e garantir balanço sexy nas férias.

fonte:delas