Top 10 Girl: Junho 2012

Ex-marido da presidenta Dilma Rousseff, você conhece?





O Guru de Brad Pitt e Angelina Jolie



Reza a lenda que Angelina Jolie e Brad Pitt seguem todas as orientações dadas por seu guru. Dizem que foi ele quem ajudou o casal a eleger as tatuagens que cobrem seus corpos, a planejar e decidir as adoções de seu filhos, e agora parece que o mestre está empenhado em encontrar a data ideal para o casamento dos dois.

E agora dizem que o Conselheiro espiritual do casal estaria estudando qual o dia ideal para o casamento que tem tudo para se transformar no maior evento de todos os tempos.

Fãs e jornalistas do mundo todo esperam que o casamento aconteça ainda este ano, porém corre o boato de que o conselheiro espiritual aconselhou Brad e Angelina a casar somente no próximo verão.
 O monge budista Ajarn Noo é o principal assessor de Brangelina para assuntos importantes e comenta-se que, além da data ideal, foi ele quem indicou o lugar ideal para a boda.

O Guru deu à Angelina várias opções de locais que dariam ao casamento um sentido simbólico. Uma opção seria o Havaí, porque as cinzas da sua mãe foram espalhadas lá. Ele também indicou uma cerimônia budista na Tailândia e uma na residência do casal, na França. No entanto, independentemente da localização, o principal conselho tem a ver com a data. Ajarn Noo garante que o casal deve esperar até o próximo verão. "
Levando em conta que Brad e Angelina sempre seguem os conselhos de tal mestre, teremos que esperar até 2013 para ver as cenas desse grande evento.

Fonte:O fuxico




25 alimentos que seguram a fome



Será que existem alimentos com o poder de enganar o estômago? 


Vinte e cinco leitoras disseram a BOA FORMA que sim! E listaram 25 comidinhas (gostosas) com efeito antifome. Para comprovar esse poder, consultamos três nutricionistas feríssimas no assunto - Cynthia Antonaccio, de São Paulo, Joselaine Stürmer, de Porto Alegre, e Lucyanna Kalluf, de Curitiba. Elas garantem: pode apostar nesta lista que vai ajudá-la a controlar a gula. Aproveite! Este é o nosso presente de Natal para você!

Café da manhã


Abacaxi "Comer uma fatia de abacaxi no café da manhã me deixa sem fome até o almoço", diz Carmem Lima, 32 anos, de São Paulo. Por que funciona: rico em fibras, o abacaxi mantém o estômago ocupado na digestão por mais tempo, o que segura a fome. Também tem várias vitaminas e minerais importantes para o equilíbrio geral do organismo. E um corpo saudável corre menos risco de cair na armadilha da gula.

Aveia "Mingau de aveia faz a gente quase esquecer a comida no resto do dia", conta Rosana Meirelles, 49 anos, do Rio de Janeiro. Por que funciona: as fibras da aveia se expandem no estômago. Depois, são transformadas numa espécie de gel resistente à digestão, prolongando a saciedade. Se preferir, polvilhe o cereal nas frutas ou no iogurte.

Pão integral "Ele estica muito mais a sensação de saciedade que o pão branco", garante Maria Toniolo, 35 anos, de São Paulo. Por que funciona: além de deixar você satisfeita com menos comida - por causa das fibras dos grãos -, pães e massas integrais têm o poder de manter os níveis de açúcar no sangue mais equilibrados, evitando que a fome volte logo.

Ovo "Comer ovo de manhã é batata: a fome fica menor nas outras refeições!", diz Eliane Duarte, 36 anos, do Rio de Janeiro. Por que funciona: o ovo é fonte de proteína - nutriente que tem uma estrutura molecular complexa, exigindo uma digestão lenta. Por isso, deixa você sem fome por um bom tempo.

Queijo branco "No meu café não falta queijo branco. Senão chego esfomeada ao almoço", diz Elisabeth Duarte, 48 anos, do Rio de Janeiro. Por que funciona: como o ovo, o queijo tem proteína e, por isso, sacia bem a fome.

Almoço


Arroz integral "Quando estou com muita fome, troco o arroz branco pelo integral. Preenche o estômago mais rápido", conta Amanda Rodrigues, 25 anos, do Rio de Janeiro. Por que funciona: esse tipo de arroz, que vem com a casquinha, leva mais tempo para ser digerido do que o branco. E enquanto o estômago está cheio, você não pensa em comida.

Farelo de trigo "Misturo farelo de trigo na massa ou no arroz. Funciona bem contra os exageros", diz Graziela Belles, 25 anos, do Rio Grande do Sul. Por que funciona: ótima ideia! Juntar o farelo de trigo a outros alimentos aumenta o volume - dá impressão de ter uma porção mais generosa no prato. Além disso, o farelo reduz o índice glicêmico da massa e do arroz, e IG baixo é garantia de apetite tranquilo.

Abóbora "A abóbora é minha aliada contra a balança! Me ajudou a perder 8 quilos", diz Daniela Amaral, 25 anos, do Rio Grande do Sul. Por que funciona: tem fibra de monte e poucas calorias (tem só 33 calorias por 100 gramas), por isso, você pode comer bastante sem medo de engordar. Não é à toa que faz sucesso na turma do regime. Pode ser assada ou cozida, doce ou salgada.

Cenoura "Além de folhas verdes, como bastante cenoura na salada. Mastigar esse legume diminui minha gula", diz Adriana Afonso, 27 anos, de Brasília. Por que funciona: a textura firme da cenoura exige mesmo que você mastigue, mastigue, mastigue... Com isso, o cérebro entende que uma boa quantidade de alimento está sendo ingerida. Além disso, comendo devagar, você consome menos comida nos 20 minutos que seu organismo leva para "desligar" a fome.

Jantar


Peito de peru "Colocar peito de peru no sanduíche mata minha fome mais rápido", diz Ana Claudia Rizo, 28 anos, de Uberlândia (MG). Por que funciona: além de proteína, o peito de peru tem um pouco de gordura (mesmo o light), que, durante a digestão, estimula o corpo a produzir um hormônio, a colescistocinina, que corta a gula. É isso mesmo: para emagrecer a gente precisa de gordura, de boa qualidade, é claro, e não mais do que 10% das calorias diárias.

Tofu "Gosto do tofu geladinho com cheiro-verde e shoyu. É leve e me ajuda a comer menos no jantar", conta Helena Cardoso, 40 anos, de Goiânia. Por que funciona: esse queijinho (de soja) carrega apenas 40 calorias em 100 gramas, e pode entrar à vontade no seu prato, dando volume à refeição. A dose de proteína, apesar de pouco, também ajuda a domar a fome.

Folhas verdes"No jantar, devoro um prato grandão de folhas verdes com tomate e pepino. Depois, como uma fruta e pronto: me sinto bem alimentada", diz Márcia Queiroz, 27 anos, de São Paulo. Por que funciona: campeãs de fibras, as folhas exigem muita mastigação - ninguém engole uma saladona sem trabalhar muito com os dentes. E a mastigação é um mecanismo fundamental para o cérebro avisar a hora certa de você parar de comer.

Bebidas Suco de limão
"Para ficar firme na dieta, bebo limonada (com adoçante!) gelada. Refresca e me faz esquecer dos doces", diz Marcia Cristina Marinho, 30, de Ubiratã (PR). Por que funciona: o azedinho do limão inibe a vontade de comer algo doce. Isso porque esse sabor satura as papilas gustativas que também estão no comando da fome.

Chá de ervas "Beber chá (muito chá!) - perto de 1 litro por dia, sem açúcar e longe das refeições - me faz comer menos. Emagreci 9 quilos em dois meses depois que adotei essa estratégia", diz Viviana Lima, 28 anos, de São Paulo. Por que funciona: chá, em geral, acalma o estômago. Mas se quiser ir direto ao ponto, beba chá de capim-cidreira (reduz a compulsão a comida), verde (acelera o metabolismo, fazendo o corpo queimar gordura), cravo e canela (diminui a fissura por doce).
Café "Gosto de beber um cafezinho após o almoço. Assim não sinto falta da sobremesa", revela Karine Parússolo, 27 anos, de São Paulo. Por que funciona: como acontece com o limão, o sabor forte do café deixa as papilas gustativas "satisfeitas". É por isso que compensa o doce da sobremesa.

Água "Quando estou a ponto de atacar um chocolate, bebo água. E a vontade passa", conta Aline Marta de Lima, 23 anos, do Rio de Janeiro. Por que funciona: a água ocupa espaço no estômago, preenchendo momentaneamente aquele "vazio" que faz você sonhar com um biscoito recheado no meio da manhã ou da tarde. Portanto, água para dentro!

Lanches


Banana "É gostosa, fácil de levar para o trabalho e sossega a fome entre as refeições", diz Fernanda Villas Boas, 23 anos, de São Paulo. Por que funciona: não parece, mas a banana tem fibras e, por isso, forra o estômago. Também carrega ferro, potássio e triptofano - substâncias que dão pique e diminuem a compulsão a comida. Mas, com 90 calorias, em média, não pode ser consumida à vontade.

Iogurte "Um iogurte desnatado e a larica da tarde desaparece", garante Simone Fernandes, 26 anos, de Macaé (RJ). Por que funciona: rico em proteína, não só aplaca a fome como evita que ela volte rápido. Se quiser esticar a sensação de saciedade, junte aveia.

Barra de cereais "Esse lanchinho tem poucas calorias, engana o estômago e faz o intestino funcionar melhor", revela Jeane Marques, 25 anos, de Paranavaí (PR). Por que funciona: as que têm castanhas, cereais (como a aveia) e frutas secas cortam a fome e dão energia. Cuidado com as versões carregadas de açúcar e sem quase nada de cereais integrais - disparam o índice glicêmico, e lá vem fome.

Damasco "Docinho, o damasco acaba com aquela vontade de comer alguma coisa no meio da manhã", diz Mônica Rodriguez, 31 anos, de São Paulo. Por que funciona: desidratado, concentra frutose (açúcar da fruta) e vale por um docinho com apenas 20 calorias por unidade. A sensação de saciedade fica por conta das fibras.

Amendoim "Carrego um punhado de amendoim na bolsa para aliviar a fome da tarde", conta Leda Ribeiro, 32 anos, de São Paulo. Por que funciona: a gordura boa do amendoim regula o açúcar no sangue e rende uma sensação de saciedade prolongada, evitando beliscos. Mas não exagere: 10 gramas têm 55 calorias.

Biscoito com fibras "Para acabar com o desejo por doce, como biscoitinho com fibras", diz Thereza Moreira, 32 anos, do Rio de Janeiro. Por que funciona: é uma opção saudável para driblar a fome que pinta entre uma refeição e outra. Mas, em excesso, engorda.

Soja tostada "No lanche, como soja tostada. Foi um dos truques que me ajudaram a perder 66 quilos", diz Lia Santis, 30 anos, de São Paulo. Por que funciona: além das fibras, tem isoflavonas (hormônios naturais), zinco, vitaminas do complexo B, cálcio e potássio, que equilibram os hormônios femininos. E os hormônios, você sabe, influem muito na gula.




Quem é a mulher que casou com o dono do Facebook ?

O casamento de Mark Zuckerberg e Priscilla Chan, no jardim da casa de US$ 7 milhões do noivo teve todos os ingredientes de um bem orquestrado evento de celebridades.
Fotos dos noivos sorridentes foram devidamente distribuídas pela assessoria de relações públicas do FB e o menu do jantar foi revelado por fontes anônimas muito bem informadas: sushi e comida mexicana.
O casal se conheceu em Harvard e vinha namorando há 9 anos.
Até a data da cerimônia, 19 de maio, era significativa: um dia após o lançamento das ações públicas do Facebook, o ponto culminante da trajetória profissional de Zuckerberg desde que ele fundou a rede social em seu dormitório de Harvard, em 2004.
A curiosidade do público, no entanto, não girava em torno de quem seria o estilista que desenharia o vestido da noiva (Claire Pettibone) ou quanto tempo levariam os acionistas para processar o Facebook pelas falhas no processo de abertura de capital (6 dias). O que todo mundo queria de fato saber era: quem era a princesa que estava se casando com o príncipe do Vale do Silício?
De fato, para todos que confundiam Zuckerberg com o personagem de "A Rede Social", pensando, particularmente, nas cenas que mostram a namoradinha destruindo qualquer possibilidade de romance, com argumentos que levantam suspeitas de que as chances de algum relacionamento amoroso no futuro seriam mínimas para o jovem Mark, o fato de que ele tivesse uma namorada há bastante tempo deve ter sido um grande choque.
Priscilla Chan longe dos refletores do Vale do Silício

Chan, de 27 anos, ao contrário da maioria das moças como ela (incluindo Randi, a espevitada irmã de Zuckerberg), prefere ficar longe dos refletores do Vale do Silício. Graduou-se recentemente em Medicina na Universidade da Califórnia, em São Francisco e tem planos de tornar-se pediatra. Nisso ela se parece com outras esposas de notáveis do Vale, que investiram em suas carreiras, como Laurenne Powell Jobs, viúva de Steve Jobs, que é empresária e Anne Wojcicki, mulher de Sergey Brin, do Google, fundadora da 23andMe, uma empresa de testes genéticos.
Chan preserva sua privacidade e, ao menos até agora, evita falar com a mídia a menos que isso seja relevante para a carreira de Zuckerberg. Apesar de ter um perfil ativo no Facebook ela raramente é tagueada em eventos sociais e declinou o convite para ser entrevistada nesse artigo.
"Priscilla não precisa ser capa de revista", diz Heidi Roizen, investidora e moradora antiga do Vale. "Nós vivemos num ecossistema de celebridades e famosos. Mas existe um espectro nesse ecossistema e algumas pessoas preferem se aproximar dele de formas menos superficiais"
Nem a estilista Claire Pettibone sabia que a futura senhora Zuckerberg escolheria uma das peças de sua coleção para vestir-se de noiva.

Uma das pouquíssimas pessoas que falaram sobre o casamento foi Pettibone, que virou alvo dos holofotes por ter sido a estilista escolhida por Chan para fazer seu vestido de noiva.
Pettibone declarou que soube da escolha de Chan por seu marido, que reconheceu o vestido em uma foto. "Não é nosso campeão de vendas", disse a estilista, em entrevista por telefone, referindo-se ao vestido de 4 mil e 700 dólares, um dos 40 da sua coleção, "mas é respeitável!"
Todos os vestidos de Pettibone são feitos por encomenda. O de Chan foi comprado na butique Little White Dress, de Denver, e, aparentemente, não foi a própria noiva que fez a compra. Desde o casamento, disse também Pettibone, a audiência do seu site deu um salto e revendedores não param de pedir amostras do vestido para apresentar para suas clientes. "Nada como uma noiva famosa para melhorar a imagem de uma marca", avalia a estilista.
A jovem quieta, reservada e cheia de bom senso e o príncipe do Facebook
Pessoas que conhecem Chan e concordaram em falar, ainda que tenham pedido para que seus nomes não fossem revelados, por receio de ofender a ela ou a Zuckerberg, descrevem uma jovem quieta, mas forte, que protege seu marido, que ela conheceu na fila do banheiro em uma festa na faculdade, em 2003. Sobre esse primeiro encontro, Chan disse à revista New Yorker, em 2010: "Ele era um nerd típico, meio avoado", com aqueles canecos de cerveja decorados com uma dessas piadinhas de programador.
Em Palo Alto, Chan cultiva alguns amigos, incluindo Jessica Vascellaro, repórter do Wall Street Journal e o noivo, Sam Lessin, gerente de produtos do Facebook; Jessica e Aaron Sittig, funcionários antigos do Facebook e Brittany Morin, casada com David Morin também um antigo funcionário do Facebook que saiu para criar o Path, um site de compartilhamento de fotos.
A vidinha longe da badalação do casal Zuckerberg

O casal prefere estar entre amigos do que comparecer à festas. Adotaram uma cachorrinha chamada Beast, que eles adoram fotografar e que tem uma página no Facebook. Chan gosta de cozinhar (ao menos é o que diz em sua página no Facebook) e sua pizza de limão com ricota é famosa entre seus amigos.
O mais importante, contudo é que ela foi acolhida no seio da família Zuckerberg (Mark tem 3 irmãs).
A família de Priscilla Chan vista pelo Facebook
Chan nasceu no dia 24 de fevereiro de 1985 e mudou-se com a família para Braintree, Massachussets quando estava no colegial. Em 2003, ganhou um prêmio em ciência e tecnologia na Quincy High School e foi oradora da sua turma.
Pouco se escreveu sobre a família chino-americana de Chan. Mas no Facebook, Dennis Chan identifica-se como pai dela e de mais duas moças, Michelle e Elaine. Chan graduou-se em Harvard em 2007 e mudou-se para Palo Alto para ficar perto de Zuckerberg, que havia saído de Cambridge dois anos antes. "Ela sempre fez parte da história do Facebook", relata David Kirkpatrick, autor de "O Efeito Facebook". "É incrivelmente significativo que Priscilla tenha conhecido Zuckerberg antes que ele se tornasse um bilionário".
Um casamento negociado em horas e dedicação
Em 2005, Zuckerberg teria oferecido um emprego para Chan. Ela "adorou" a oferta, mas continuou na escola. "Ela não era particularmente fascinada por Mark", conta Kirkpatrick. "Ela o tratava como o homem por quem estava apaixonada, não como o Mark Zuckerberg por quem todo mundo estava apaixonado".
Os 5 mil quilômetros de distância acabaram separando Zuckerberg e Chan e ele conheceu outras mulheres, incluindo uma aluna da Universidade da califórnia, segundo o livro de Kirkpatrick. Quando Chan aceitou o posto de professora assistente de ciências numa escola particular de San Jose, ela negociou os termos da convivência entre os dois. Segundo um conhecido de Chan, o casamento fazia parte dessa negociação. Segundo a mesma fonte, Zuckerberg relutava em casar porque achava que a imagem de 'juventude' era boa para a empresa.
Na época, o casal concordou que não morariam juntos, mas que Zuckerberg passaria pelo menos 100 minutos por semana do seu tempo com Chan e que eles sairiam juntos pelo menos uma vez por semana, de acordo com o livro "O Efeito Facebook". Também concordaram em viajar juntos nas férias e, de fato, desde então eles visitaram Dubai, Mumbai e a China. Um amigo confidenciou que eles estariam pensando em viajar para o Peru esse ano.
Em 2010, Chan mudou-se para a casa alugada onde Zuckerberg vivia, perto de Palo Alto e não muito distante do quartel-general do Facebook. Jessica Roth, que vive até hoje nesse mesmo bairro (o casal Zuckerberg mudou-se de lá para a casa onde o casamento foi celebrado), conta que muitas vezes o casal caminhava até o Palo Alto Sol, um dos restaurantes contratados para fazer o bufê do casamento, para jantar. Lembra também que Chan um dia passou por sua loja, European Cobblery: "Ela pareceu contida e reservada", relata Roth. "Mas quando chegou Halloween, ela se usou uma fantasia verde, de ervilha, e distribuiu doces para todas as crianças do bairro, inclusive meus filhos", relata.
Chan e a doação de órgãos, a nova bandeira do Facebook
Entre as questões que preocupam Chan está a doação de órgãos, que agora também é uma das causas sociais que o FaceBook abraçou. Zuckerberg, em uma entrevista no programa "Good Morning America", disse para Robin Roberts, que quando Chan estudava medicina eles sempre conversavam sobre as crianças doentes que ela atendia e como a vida desses crianças poderia mudar graças aos transplantes. "Inacreditável!", foi a palavra que Zuckerberg usou na ocasião.
Apesar de ter namorado e de agora estar casada com um dos homens mais ricos do mundo, não parece provável que Chan deixe de ser a mulher pragmática e 'pé no chão' que sempre foi. Uma das fontes ouvidas nessa reportagem contou a seguinte história: "Certa vez, Chan estava fazendo compras com sua futura cunhada, Randi Zuckerberg e parou para admirar um par de sapatos que custavam US$ 600. A irmã de Zuckerberg comentou algo como "Compre, você tem dinheiro". Mas Chan devolveu os sapatos e replicou: "Não é o meu dinheiro!""

A "ariranha" e outras mulheres de Avenida Brasil.

Sucesso atual da TV brasileira, a novela “Avenida Brasil”, trama do horário nobre da Rede Globo, tem chamado atenção do público pelos diferentes tipos de personagens femininos. Da “ariranha” devoradora de homens Suelen (Ísis Valverde) a recatada interiorana Tessália (Debora Nascimento), a postura destas mulheres perante o amor e o sexo retratam a variedade de comportamentos da vida real. A seguir você confere os perfis de seis personagens e a opinião de especialistas sobre elas. 
Divulgação/TV Globo
A "maria chuteira" Suelen parece liberada sexualmente, mas não é bem assim...
Suelen (Ísis Valverde)
20 e poucos anos
Perfil: Jovem de origem humilde e sem um rumo profissional definido, Suelen se encaixa perfeitamente no estereótipo da “maria chuteira”. Seu grande objetivo de vida é se casar com um jogador de futebol rico.
É a figura mais despudorada da novela, com a sexualidade ocupando uma posição central em sua vida. Já disse em alto e bom som: “Eu não vejo graça em ser santinha do pau oco”. Faz sexo com quem bem entende, sem se preocupar com os comentários. Essa postura é amada pelos homens, mas odiada por suas mães e namoradas, que chamam a moça de “ariranha” – uma gíria que denomina mulheres vulgares e perigosas.

“Ainda existe preconceito com a mulher que demonstra que gosta de sexo. Ela pode até gostar, mas não 'deve' verbalizar isso”, analisa a psicanalista, escritora e colunista do Delas, Regina Navarro Lins, dando uma pista sobre o motivo das reações que Suelen desperta.
De acordo com Mirian Goldemberg, antropóloga e professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro, o sexo para Suelen vai além do prazer, e esse aspecto não deve ser confundido com liberdade sexual. “Ela não faz sexo só quando deseja, mas também quando quer ter algum ganho material dos homens”, aponta.  
Divulgação/TV Globo
Carminha finge amar Tufão, mas seu verdadeiro desejo é por dinheiro e poder
Carminha (Adriana Esteves)
40 e poucos anos 
Perfil: Grande vilã da novela, é capaz de tudo para se dar bem na vida. Trai o marido com o mesmo amante com quem já se encontrava antes mesmo do casamento. 
A vida afetiva não parece ser a grande prioridade de Carminha. Na verdade, ela mostra muito mais prazer quando está executando suas tramoias do que quando está fazendo sexo. “Muitas pessoas investem o seu desejo e tesão na obtenção de dinheiro e poder. Isso as satisfaz. Neste sentido, a sexualidade pode ficar em segundo plano”, diz Regina, tentando entender o comportamento da personagem. 
O sexo com o marido Tufão (Murilo Benício) não é dos mais animados, mas com o amante Max (Marcello Novaes), as coisas ficam quentes, sempre numa pegada mais agressiva, com ela no comando. Nesta última relação, Regina explica que Carminha inverte os papeis tidos como tradicionais, numa dissolução do que é masculino e feminino.
 
Divulgação/TV Globo
Muricy cedeu aos encantos de um homem mais jovem - mas só depois de ser trocada por uma mocinha
Muricy (Eliane Giardini)
50 e poucos anos
Perfil: Após um casamento de muitos anos, Muricy foi trocada por uma mulher mais jovem. Envolveu-se com um homem mais novo. A princípio seus filhos não aprovaram o relacionamento, mas ela insiste: “seu pai arranjou uma jovenzinha, eu vou querer um jovenzinho também”.
A aceitação de um relacionamento entre mulher mais velha e homem mais novo é recente. “Eu acho que as pessoas estão buscando o prazer e a felicidade independentemente da idade do parceiro. E não é uma questão de golpe do baú, como se costumava pensar”, diz Thiago de Almeida, psicólogo especializado no tratamento das dificuldades do relacionamento amoroso. Mirian concorda, e chama a atenção para o tipo de relação que Muricy e Adauto (Juliano Cazarré) têm: “Ela, que tem mais experiência de vida, ensina muitas coisas ao Adauto, que é mais jovem. Hoje em dia vemos muitos casais assim”.
O fato das mulheres mais velhas serem mais compreensivas também atrai os homens mais jovens, cansados do excesso de cobranças e demandas. “Quando converso com homens que se relacionam com mulheres mais maduras, eles sempre dizem admiram muito esta tranquilidade”, conta Mirian.
Divulgação/TV Globo
Monalisa sofreu uma desilusão amorosa e hoje preza por sua independência
Monalisa (Heloisa Périssé)
40 e poucos anos
Perfil: Empresária bem-sucedida profissionalmente, ela dá valor a sua independência e gosta de tomar sozinha todas as decisões. Adora a solteirice, mas também gosta do namorado, e de sexo.
Depois de sofrer uma desilusão amorosa, acreditando erroneamente que o noivo a traia, Monalisa ficou mais cética quanto ao amor. Tem um namorado de muitos anos, mas resiste em oficializar a união, temendo perder a sua liberdade. “Quem manda no meu controle remoto sou eu”, brinca a personagem. “Muitas mulheres pensam desta maneira atualmente. Não é que elas não amem e desejem o parceiro, elas só não querem que a intimidade de viver junto corroa a relação”, pontua Mirian. 
“Compartilhar o mesmo espaço nem sempre é muito fácil. Dividir o mesmo banheiro, por exemplo, é complicado. Para muitas pessoas, as relações funcionam mais quando cada um fica na sua casa”, conclui a antropóloga.
 
Divulgação/TV Globo
Tessália se apaixonou pelo jeito protetor de Leleco - mas ela pode não ser tão indefesa assim
Tessália (Débora Nascimento)
20 e poucos anos
Perfil: Moça do interior vítima de um namorado ciumento, Tessália foi viver na capital. Acaba se apaixonando por Leleco (Marcos Caruso), um homem maduro e muito mais velho que ela. Ele deixa a mulher para ficar com a jovem, mas sente-se inseguro o tempo todo e faz cenas de ciúme.
Almeida chama a atenção para a repetição da situação de ciúme nos relacionamentos de Tessália. “A beleza pode ser uma benção, mas para quem se relaciona com uma pessoa muito bonita, é uma ameaça. Em vez de o parceiro ficar feliz e tranquilo porque uma mulher tão bonita o escolheu, ele fica com medo de que outro possa vir e ‘roubar’ o seu amor”. 
Mas Almeida alerta: “As pessoas muito bonitas às vezes são subestimadas: tendemos a achar que alguém pode tirar proveito delas, como se não fossem espertas e independentes como os outros”. Ao que parece, Tessália não é a mocinha interiorana bem comportada e fiel que todos pensam... Melhor Leleco ficar com os olhos bem abertos mesmo.
 
Divulgação/TV Globo
Débora larga tudo por Jorginho sem hesitar, e não se importar em ser a segunda no coração de seu amor
Débora (Nathalia Dill)
20 e poucos anos 
Perfil: É uma talentosa acrobata. De família rica, não aceitou a grande oportunidade de trabalhar em outro país para ficar ao lado de seu namorado, o problemático Jorginho (Cauã Reymond). 
Quando foi trocada por outra, não se conformou, insistiu e, segundo ela mesma, “se humilhou” na tentativa de reconquistar o seu amor. Quando Jorginho foi deixado, ela foi atrás e reatou o relacionamento. Débora parece aceitar ser a segunda no coração de seu amado, o importante é estar ao seu lado. 
Segundo Almeida, Débora sofre de falta de assertividade, que é a capacidade da pessoa se colocar para o mundo. Existem dois tipos de personalidade não assertiva: a passiva e a agressiva. Débora é passiva, desiste de seus sonhos por outras pessoas, se intimida perante os outros, não sabe expressar sua vontade. A falta desta habilidade social pode levá-la a perder oportunidades, tanto no trabalho quanto com a família ou no amor.